{o que se passa por cá..}

terça-feira, maio 07, 2013

       Não tenho escrito. A verdade é que não tenho escrito, nada de nada. Nem aqui, nem noutro sítio qualquer. Porquê? Nem sei. Ou porque o tempo tem andado demasiado depressa ou porque me falta a vontade, a inspiração, ou porque, sei lá, simplesmente não me apetece.
     Desde inícios de Março que a minha vida tem mudado. Primeiro foi a gastroenterite e desde aí nada parou. Quase me arrisco dizer que recebi sinais. Sinais que se calhar estava na altura de acordar de um sono de preguiça e despreocupação no qual eu tinha adormecido. As dores abrandaram agora, os exames médicos vão ser feitos e esperemos que se descubra o que me anda a chatear. Mas, e se não andar nada? E se isto fosse mesmo só um alerta? O que se passou é que entre tonturas, vómitos, e mais, comecei a aperceber-me daquilo que me andava a incomodar.
    E fui tomando decisões. Fechei o passado. Finalmente consegui trancá-lo, mantê-lo no seu lugar e esclarecer-me a mim mesma que o presente é tudo aquilo que vale a pena. Terminei laços, recuperei outros. Segui aquilo que achava ser o correcto, mas desta vez sem impulsões, sem corações de manteiga. Segui aquilo que me fez feliz, e segui bem. É bom conseguir libertar pessoas e libertar-nos a nós mesmos. Claro que vão haver sempre pessoas que nos tocam, mas desde que esse toque seja como a maresia e não como um vendaval não há problema maior.
    Para além disso, comecei por escolher aquilo que me faz feliz. Isto porque todas as tonturas que fui tendo, creio eu, terem acontecido por puro stress. E tenho razões para andar stressada? Claro que não. Mas também não tenho razões para gastar o meu tempo livre com coisas que não gosto, que não me são úteis  contudo era exactamente isso que estava a fazer. Ainda estou a tentar mudar isto. Perceber aquilo que quero ou não na minha vida. “E o que não seja leve, que a vida leve”. Por vezes é importante ouvir aquilo que nós temos a dizer a nós próprios. Mas estamos sempre tão ocupados que nunca nos permitimos isso, pois não? Nunca ficamos em silêncio… Pois bem, eu tenho ficado, analisado, pensado, sentido e algumas respostas estão a surgir.
     Uma conclusão que cheguei desde já é que tenho que voltar às origens. Retornar a um caminho, longo, que comecei a caminhar há uns anos atrás, e que me fui desviando por atalhos que não eram os próprios. Tenho que voltar às origens de todas as componentes que me constituem, desde o mais básico ao mais complexo. É estranho pensar na quantidade de recomeços que temos que fazer na nossa vida, não é? Mas bem, aqui vai mais um, esperemos que corra bem, ou que vá correndo bem.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Parece que estamos a passar pelo mesmo. Mas nada melhor do que ir ao fundo e depois abrirmos os olhos. Começo a achar que a vida nos dá boas lições de vida e tudo o que acontece tem razão de ser. Ás vezes as coisas más que acontecem são para aprendermos, vermos como agimos e no futuro melhorar. Aprendi também a não pensar no passado e o que passou, passou! Recomeçar sabe bem.

    Beijinhos e força porque o caminho é para a frente :D

    ResponderEliminar
  2. Olá Mariana, força! Só teres noção de tudo e saberes que tens de voltar as origens ja é metade do caminho, agora é so seguir em frente! Simplificar, minimizar, e aproveitar o que achas que importa para ti e sorrir! Força! :)
    beijinho

    ResponderEliminar

Seguidores

Junta-te ao Facebook

Amantes de Chá

Junta-te ao grupo #umaxícaradechá