Receitas

Pequeno-almoço cheio de amor & creme de chia com alfarroba ~

quarta-feira, setembro 17, 2014


Sementes de Chia - um complemento valioso para misturar em sumos, batidos, sopas, iogurte ou embebidas nos cereais da manhã; para integrar receitas de pão, panquecas ou empadas. Têm um sabor leve e são tão pequenas que mal se dá por elas! Oriundas do México, as sementes de Chia são extremamente rica em fibras, antioxidantes, proteínas, vitaminas e minerais, sendo uma fonte excelente de ómega-3. São muitas as funcionalidades atribuídas às populares sementinhas, como regulador do transito intestinal e auxiliar para perder peso. São, sobretudo, muito nutritivas mas devem ser consumidas trituradas ou hidratadas para serem melhor absorvidas. Uma colherzinha (de café para as crianças e de sobremesa para os adultos) por dia!

         Voltaram os dias cinzentos, estou a ver. Mas não é por eles voltarem que as nossas manhãs têm que ser sem cor. Hoje foi um pequeno-almoço especial: para alegrar e me preparar para mais um treino. Um pequeno almoço para celebrar (já vos falei aqui da importância de celebrar) e por isso mesmo decidi-me a experimentar uma receita nova do melhor livro de cozinha Vegetariana que algum dia vi: "Cozinha Vegetariana Para Quem Quer Poupar" da Gabriela Oliveira. 
           Peço desculpa pela publicidade mas eu estou tremendamente satisfeita com este livro. Durante os meus anos de vegetariana andei sempre feita maluca à procura de livros de receitas realmente bons, comprei imensos, todos eles ficaram aquém da expectativa: ou porque os ingredientes eram esquisitos, ou caros, ou super calórico... enfim, nenhum me satisfez, até que os meus pais me deram este livro (depois de o andar a namorar um bom par de dias) e já corri as páginas dos livros sempre com vontade de experimentar uma receita nova. As receitas são super acessíveis, bem como os ingredientes e o custo dos mesmos e ainda vem com dicas e alternativas maravilhosas. Por isso mesmo, decidi-me a experimentar pelo menos uma receita nova a cada semana (não exclusivamente deste livro).
       Para o pequeno-almoço experimentei a receita do creme de chia com alfarroba (cru e sem açúcar), é mesmo muito fácil de fazer, para quem se quiser iniciar na culinária é daquelas receitas perfeitas. O sabor é maravilhoso então misturado com morangos é qualquer coisa de fenomenal! Foi a primeira receita com sementes de chia que correu bem e prometo repeti-la por muitas vezes com ou sem ocasiões especiais à mistura. A página 209 do livro também promete ser visitada mais vezes. 

Bom pequeno-almoço e bom dia,
Mariana.

Estilo de vida

Dias de ginásio (antes que o cansaço nos separe).

terça-feira, setembro 16, 2014

Estou morta, exausta e super cansada e não sei como ainda tenho forças para escrever este post.

Como mencionei aqui, desde Julho estou inscrita num ginásio aqui perto de casa. Fiz uma avaliação inicial que me assustou imenso (IMC quase no limite do saudável bem como o perímetro cintura/anca e o IMG elevado) e acordei para a minha condição física. Tinha mesmo que tratar mais do meu corpo, afinal é com ele que vou viver o resto da minha vida e tenho que me sentir saudável e bem nesta pele. Sendo assim - a morder os lábios - propus-me a um plano de treino onde o objetivo era perder 6kg e 4 a 5cm do perímetro cintura e anca. Durante o mês de Julho treinei todos os dias por semana (excepto Domingo) e Deus sabe quanto me custou.
Sempre fui uma pessoa muito sedentária, tirando a natação, o yoga e o badmintown nunca me interessei por nenhum desporto. E sempre que as dores começavam a sentir-se eu era a primeira a desistir. Se vos disser que não conseguia correr cinco minutos seguidos não estou a mentir. A minha resistência sempre foi péssima e a minha determinação para o exercício completamente nula. Contudo não sei o que me deu nesta vez para levar esta adiante (há uns quatro anos já me tinha inscrito num ginásio e só gastei dinheiro... prometi que nunca mais, até que chegou este momento). Quer dizer até sei, tenho um namorado que é o maior desportista do mundo e me acompanhou em (quase) todos os treinos e mesmo quando estava transpirada, quase a morrer, me abraçava e me dava força para continuar. E eu lá arranjei a força e continuei. Dos cinco minutos de corrida passei para os vinte minutos e desde aí foram só evoluções para celebrar. 
Contudo entre Agosto e Setembro tive várias semaninhas de férias e o ginásio não esteve sempre presente. Conclusão quando voltei esta semana as dores instalaram-se logo. Quase como se tivesse sido o primeiro dia de treino. Aliás, teoricamente foi. Depois de dois meses com o mesmo plano de treinos (A e B - pernas e braços: C - cardio) recomecei hoje um novo plano. Desta vez não tenho cardio, tenho só A e B. Hoje fiz o treino A e devo-vos dizer que nunca sofri tanto dentro de um ginásio. Suei em bica, ferrei os dentes, suspirei, tentei, tentei, tentei e... morri. Estou morta, exausta e super cansada e não sei como ainda tenho forças para escrever este post. Aliás, nem sei como amanhã vou conseguir treinar, talvez  descanse e me dedique apenas ao treino de yoga (que é super importante para não perder a flexiblidade e não só claro).
Mas bem, antes de me despedir, isto tudo para dizer que estou apaixonada pelos treinos e que mais vale estas dores musculares - que embora me queixe são óptimas de sentir - do que não saber o que é sentir esta sensação de realização e orgulho. Estou apaixonada por esta sensação, pela energia e qualquer dia dou uma abada ao meu desportista a saltar à corda. Para já fico-me por ser a "aluna" mais orgulhosa dele. Obrigada, meu amor.

Bom descanso e boa noite,
 Mariana.

Reflexões

Celebrar, esta vida, estes momentos.*

terça-feira, setembro 02, 2014

Cresci rodeada de alguns pessimistas. Aqueles que entre o copo meio cheio e o meio vazio, vêem o copo partido. Que nem sempre souberam ver os raios de sol por entre o nevoeiro. Por isso mesmo, e porque há que tirar o lado positivo de tudo, todos os dias tento fazer um esforço para reparar o copo que não chegou a cair e afinal estava meio cheio de água. Todos os dias afasto as cortinas deste céu para o sol entrar mais um bocadinho. Aliás, ultimamente tenho feito muito isso. Tenho tido esperança, alegria, motivação, inspiração e muita, muita, vontade de celebrar. 
Mas celebrar? O quê? Seja o que for! Seja porque se está há um mês no ginásio, ou porque o vinho que gostamos está em promoção, ou que nos der na gana. Celebramos porque estamos vivos e essa é a maior celebração de todas. Celebro por e para me sentir bem. Porque não há nada melhor que vestir o vestido bonito e sair para um jantar à luz das velas ou confeccionar um prato diferente para os meus e acrescentar um licor no final da noite. Seja o que for, celebro, porque no final há sempre um brinde a "nós", que estamos vivos. E é tão bom! Portanto, vamos celebrar? 
Vamos! Vamos enfeitar o sorriso, decorar o olhar e aconchegar estes corações que batem cada vez mais ao som alucinante que ritma esta vida. Celebramos, pois então: a vida, os momentos. Celebramos porque ninguém o vai fazer por nós e afinal, cada um de nós, celebra como bem quiser! Hoje celebrei esta noite quente de Verão escrevendo sobre o céu estrelado, partilhando a quem quiser ler o bom poder que é celebrar. E que este ritual se repita, se disperse e, acima de tudo: se partilhe! (afinal o que é partilhar, se não celebrar?) 

Boa noite com um sorriso e um xi-,
Mariana Neves

ps: esta música para celebrar e agradecer a quem me lê.

Seguidores

Junta-te ao Facebook

Amantes de Chá

Junta-te ao grupo #umaxícaradechá