Primeiro objetivo de 2015: (Por o N. a) Comer mais legumes.

domingo, janeiro 04, 2015

(Private: Titulo para o N: primeira resolução de 2015. )

Quem já leu o texto "sobre mim" sabe que me tornei vegetariana por volta dos quatorze/quinze anos, mas quem segue este blog sabe que por volta de Fevereiro de 2014 tive que fazer uma pausa a este regime alimentar porque andava demasiada cansada e com muito pouco tempo livre (neste momento acho que isso são desculpas de mau pagador mas pronto...). Entretanto, aos pouquinhos volto aquilo que sou, dentro de mim: vegetariana. 

Quando me perguntam: "não é sacrifício para ti, não comer carne/peixe?" a resposta é: o meu sacrifício é come-la. Aliás, só de escrever isto, o meu estomâgo deu voltas. Não gosto, O meu corpo não reage bem e acima de tudo: não me identifico.

Os legumes serão sempre o meu primeiro amor que nunca vou esquecer. A minha primeira escolha: a minha essência. E exactamente por isso, porque uma pessoa não deve levar uma vida contra aquilo que sente, este 2015 marca não só o regresso ao vegetarianismo (embora nunca tenha deixado de o ser, aliás, como o meu pai dizia: "ela é 99% vegetariana"), mas também o meu esforço e dedicação para que o meu N. se renda de vez aos meus pequeninos: os legumes. O primeiro jantar que lhe fiz, oficial, de comida vegetariana foi em Agosto de 2011. O prato que ainda hoje é o favorito dele no que toca a estas andanças: soja à bolonhesa. Desde aí, é com agrado que vejo que ele já come mais legumes quando estou por perto (para quem não sabe o N. não é lá muito dado a verduras). Desde aí, até já comeu funcho, lentilhas e uma série de legumes. O processo de habituação já começou, mas ainda é lento, eu quero ver se apresso um bocado as coisas. Aliás, quão bom seria se ele apreciasse a comida vegetariana tanto quanto eu? (e melhor, se a soubesse cozinhar?)

Por isso, comecei esta luta já esta semana. Fiz ao N. um jantar com inspiração indiana, tudo vegan e cheio de legumes. Acho que tudo na vida é uma questão de hábito. Por exemplo, antes não era capaz de comer frutos secos, desde que me tornei vegetariana, adoro nozes, avelãs e amêndoas. O mesmo se passou com a beterraba. O nosso corpo adapta-se a tudo e, na minha opinião, a maior parte dos gostos é uma questão de os adaptar, mesmo que custe um bocadinho. É isso que quero fazer com ele. Adaptá-lo. Fazer com que ele se apaixone por legumes, pela comida vegetariana, tal como eu sou. E, quem sabe, tornar também os legumes não a primeira opção (não sonho tão alto), mas a segunda opção (mesmo quando eu não estou por perto)... Quem sabe, nada é impossível. Entretanto a luta é longa e dura. Não estou esperançosa de sair vitoriosa mas desistir não é opção. Vou-vos dando noticias.

Para já, cá fica a emente do primeiro jantar vegetariano do N. de 2015 (para a próxima há foto!):

~ Entrada: Chutney de Beterraba com maçãs e especiarias do blog A Marmita Lisboeta 
~ Prato principal: Caril de lentilhas com legumes (do livro Cozinha Vegetariana Gabriela Oliveira) com arroz de couve-flor (do livro "As receitas da Mafalda" da Mafalda Pinto Leite)
~ Sobremesa: Arroz doce Vegan do blog Not Guilty Pleasure

Todas as receitas ficaram deliciosas, mas as predilectas foram o chutney e o arroz doce (nunca mais volto a fazer outra receita! que delicia!). O primeiro jantar foi feito com sucesso. Agora é pensar no próximo jantar! Ideias? Alguém com o mesmo objetivo que eu? 


Boas receitas & Um xi-
Mariana.

You Might Also Like

9 comentários

  1. Então, muita força e vontade nessa sua meta Mariana.

    Eu me 'descobri' vegetariana há 20 anos e só me trouxe bem estar, muito além do físico. Não me faz falta nenhuma, até porque eu nunca fui dada à alimentação carnívora ( mas respeitando quem a possui) e meu corpo sempre rejeitou também.

    Bom, que você nos brinde com receitinhas deliciosas para podermos 'trocar figurinhas'

    Beijo n'alma e que seu ano seja mágico,
    Samara Bassi

    ResponderEliminar
  2. Acho muito bonito tentares que ele aprecie comida mais saudável e que bem cozinhada é boa, eu não sou grande fã de verduras também mas quando um amigo meu cozinhou só com legumes para mim adorei, estava mesmo bom. Mas se ele gosta de carne e assim não podes "tirar-lhe" isso, somos todos diferentes ! :) e força de vontade para uma alimentação mais saudavel é o que me falta. tentei uns tempos e fiz uns tomates recheados tãaao bons e uma lasanha de espargos, ai q maravilha ahah! paciência para cozinhar precisa-se, ainda para mais legumes , pfff

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É tudo uma questão de hábito e treino Diana :) vai aos pouquinhos, se parte de ti essa transformação, vai aos passinhos de bebé :) eu não quero impor-lhe nada, longe de mim! Apenas mostrar-lhe como a comida vegetariana pode ser MARAVILHOSA :)

      Eliminar
  3. Este ano estou empenhada em pesquisar mais e experimentar mais a cozinha vegetariana. Uma vez que viverei sozinha acho que faz todo o sentido ir fazendo as experiências comigo mesma. Não prometo nada ainda, tenho a noção que ainda não abdico da minha carne e do meu peixe, mas quero muito que a maioria das minhas refeições seja de origem vegetal. Wish me luck! :)

    ResponderEliminar
  4. "[...] por volta de Fevereiro de 2014 tive que fazer uma pausa a este regime alimentar porque andava demasiada cansada [...]"

    "Comprova" que só comer legumes não chega para a quantidade de energia que necessitas no dia a dia.
    Também é verdade que depois de te habituares a comer pouco, e de perderes peso devido à consequência de o teu corpo precisar de energia e queimar a "gordura" que tens, que o vegetarianismo já não se sente tanto. Mas não acredito que comer verduras a vida toda seja algo benéfico.
    Até porque Peixe e Carne são alimentos ricos em vitaminas, e possui uma quantidade de energia mais concentrada do que os legumes.
    Não te estou a criticar, até porque é uma das coisas que todos deveríamos fazer de X em X meses, para podermos "queimar" e remover as impurezas do nosso corpo. Felizmente o meu corpo funciona bem, mas gostaria de comer mais verduras, até porque comer só carne e peixe, às vezes faz-me ficar enjoado.


    "[...] mas também o meu esforço e dedicação para que o meu N. se renda de vez aos meus pequeninos: os legumes. [...] quão bom seria se ele apreciasse a comida vegetariana tanto quanto eu? (e melhor, se a soubesse cozinhar?)"

    É interessante a maneira como as relações se constroem. Principalmente aquelas em que um sonha que o outro seja mais isto ou menos aquilo.
    É sem dúvida um jogo que não é para qualquer um.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até me assusto com os teus comentários Paulo (mas não te enganes, é sempre bom lê-los). Acho que a dieta alimentar/estilo de vida é uma escolha de cada um, e as decisões que eu tomo em relação a isso provavelmente têm motivos e razões que tu não compreendes. Mas agrada-me que aceites, obrigada* Em relação à parte final, não é um jogo, são expectativas, sonhos, futuros que se constroem. Embora uma pessoa goste da outra tal como ela é, há sempre coisas que se mudam em conjunto. Um mundo que se constrói com duas pessoas :) Parece-me algo normal.

      Eliminar
  5. Minha querida Mariana, quem me dera a mim conseguir fazer isso com o meu amigo especial, ele não aceita ser vegetariana e já discutimos muito sobre isso, enfim ando triste com esta situação e não saber como mudar a mentalidade dele é frustrante. Ele nem sequer prova a comida que eu faço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh... pode ser que as coisas mudem com o tempo :) as mentalidades mudam-se não é? Vais ver que tudo correrá pelo melhor*

      Eliminar

Seguidores

Junta-te ao Facebook

Amantes de Chá

Junta-te ao grupo #umaxícaradechá