A Euforia Perpétua ~ pág. 102.

segunda-feira, abril 11, 2016

"As ocasiões falhadas: uma palavra que não foi pronunciada, uma mão que não se estendeu, um gesto esboçado mas depois evitado, tantos momentos que por medo, timidez, a nossa sorte não balança. Demasiado cedo, demasiado tarde: existem vidas que permanecem completamente votadas ao insatisfeito, ao inacabado. O que poderia ser, é o que não foi: alguns contentam-se com este condicional e cada um de nós poderia escrever a história dos seus destinos evitados e que o acompanham enquanto possíveis fantasmagorias. (...) 

«Look at my face; my name is Might Have Been, I am also called No More, Too Late, Farewell.» Cada vida sendo única rejeita e exclui outras. Ou antes, eleva-se sobre um ciume: o das virtualidades que executou e que não se puderam desabrochar. E é escudado saber que em cada instante existem novas partidas potenciais, que jogadas só estão concluídas no ultimo descarte, o acontecimento é fatal: o que ocorre noutras eventualidades. E para aqueles que não são tocados pela graça de uma segunda vez, para aqueles a quem a historia não oferece de novo uma oportunidade, começa então o tempo da miséria dos possíveis. As mãos deixam de se estender, a estrada de bifurcar fica desesperadamente estreita e lisa."

in A Euforia Perpétua por Pascal Bruckner (2000)

You Might Also Like

0 comentários

Seguidores

Junta-te ao Facebook

Amantes de Chá

Junta-te ao grupo #umaxícaradechá