O que aprendi... num ano à procura de um sítio melhor.

quarta-feira, novembro 09, 2016


Há exactamente um ano atrás tudo o que sabia fazer era chorar. Estava desconsolada por uma decisão que tomaram por mim. Conheci o fundo do poço quando nem contava cair. A verdade é que caí, caí fundo e tropecei umas quantas vezes até chegar onde estou agora. Tenho os joelhos cheios de feridas de tanta queda (ou deverei dizer o meu coração?). Passei de pessoa que adorava o que fazia a desempregada a tempo inteiro. A base dos meus sonhos passou a ser uma nuvem que condensou e caiu no chão em mil pedaços. Não deu para colar.

Mas eu tive sorte. Porque percebi que aquela nuvem não era a mais bonita para mim. Minto: eu mereci que isto acontecesse. Cada lágrima, cada sorriso, cada segundo deste ano que se passou eu mereci. E senti, sem anestesias ou paninhos mansos. Senti a solidão dos finais de tarde e o entusiasmo do amanhecer por poder fazer aquilo que queria. Senti a tristeza de todos os nãos que me deram, de todas as portas que não se abriram e das vezes que sufoquei por nem haver uma janela de oportunidade na sala do desespero. Aliás, ainda sinto. Mas senti a alegria de organizar o meu dia, só para mim. E a verdade é que se durante este ano eu devia ter afundado, sinto antes que surfei no meio destas emoções todas - e a onda desta vida tem sido grandiosa e fantástica.

Hoje faz um ano que fiquei desempregada e desde aí tenho estado à procura de um sítio melhor. Mas não só. Ando também à procura de mim, do que mais me faz feliz, de quem me faz feliz e de quais são realmente as prioridades da minha vida. E digo-vos, desde já, ainda bem que tenho esta oportunidade. Se nada acontece por acaso, aqui está uma razão. Neste último ano descobri que o N. sabe os meus defeitos de cor, que a minha criatividade anda de mão dada com o meu tempo na Natureza, que tenho uma rede de contactos fenomenal (e sinto-me acariciada por um milhão de pessoas!), que o Projecto Cartas Cruzadas é uma das maiores partes de mim (e que não dá para viver sem ele).

Mas devo-vos dizer houveram duas coisas que este ano me ensinou muito bem. A primeira é que a forma como falamos e dizemos as coisas influencia em muito aquilo que sentimos. Eu nunca digo "estou desempregada" porque isso me fazia sentir inútil. Digo antes "estou à procura de um sítio melhor" e a minha profissão é "psicomotricista" e quando insistem em perguntar: o que fazes da vida? Eu respondo, com um sorriso, aproveito-a. E sinto tanto isso! A outra coisa que aprendi é: pede ajuda quanto sentes que não és capaz sozinho. Felizmente a Sónia (melhor coach do mundo!) apareceu antes de eu precisar de eu pedir ajuda. E tirou-me daquele fundo que vos falei no início. Ela que me fez fazer uma lista de todos os defeitos, que me acompanhou em cada decisão e fez com que tornasse os "um dia vou fazer" em "eu fiz". Ela que passou de amiga, a pessoa que sabe quase tudo da minha vida. Ela que é uma das forças que me impulsionou neste ano. 

Um ano à procura de um sítio melhor, equivale a uma dezena de livros lidos, a um "boom" do Projecto Cartas Cruzadas, a ser voluntária na Loja de Comércio Justo do Porto e na Associação Escutar, equivale a cafés com amigos e reencontros necessários. Um ano de tantas aprendizagem que seria impossível não estar grata. Um ano que me tornou ainda melhor para o próximo sítio que me receber.

Obrigada Vida.
(Devia ter celebrado com um bolo, mas um texto também me consola a alma)

You Might Also Like

13 comentários

  1. ÉS linda Mariana. Tens um coração muito doce. Beijinhos e continua assim.

    ResponderEliminar
  2. Adorei o teu texto, é uma verdadeira inspiração. Gosto tanto, mas tanto de te ver assim, cheia de força, alegria e a aproveitar a vida!
    Porque tombos vão haver sempre. A forma de lidarmos com eles é que é a verdadeira chave para termos uma vida feliz (ou não).
    Gosto da tua atitude, és super-activa e cheia de bons projectos. Podes não ser remunerada, mas não és "desempregada". Com tanto que fazes, és mais produtiva que muito "empregado" que conheço.
    E és grata. Que é muito importante.
    Beijinhos e continua assim :) :) :)

    ResponderEliminar
  3. Olá Mariana,

    É curioso, pois partilho esta "data" contigo. No meu caso, já lá vão quatro e aquilo que impus a mim mesma foi: não a recordar nem lhe dar a importância que ela não tem.
    Eu sai de livre vontade. As coisas começaram a entrar em colapso e estavam a correr muito mal para o meu lado. Revi-me em tudo o que disseste, embora esses sentimentos tenham chegado mais tarde, quando a minha procura por um sítio melhor estava a demorar. O que é certo é que até agora ainda não aconteceu. Não tenho estado parada, mas tem sido muito complicado.
    Admiro a tua força e forma positiva como passaste a olhar para este ano de procura.
    Tudo de bom para ti.

    ResponderEliminar
  4. Sim Mariana, nada acontece por acaso amiga. Todas as situações na nossa vida têm uma razão de ser e um.ser humano fantástico como tu só poderia ter uma forte razão para estar um ano fora do mundo do trabalho laboral que em nada é mais grandioso do que todo o trabalho que tens feito: Fazer quem te rodeia mais feliz! :-) Todos nos orgulhamos de ti!

    ResponderEliminar
  5. Querdida Mariana,que lindo texto!!! Uma inspiração!!!

    E sorri... sorri sempre!!!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Minha querida Mariana, a Força está e sempre esteve dentro de ti. Só precisaste que te ajudasse a desembaciar o espelho. ;-)
    Concordo plenamente com a Catarina H.: "Com tanto que fazes, és mais produtiva que muito "empregado" que conheço." Em troca, recebes experiência, (re)conhecimento, amizade e carinho. Há lá dinheiro que possa comprar isto tudo?!?
    Grata por me deixares acompanhar-te neste surfanço. É uma honra e uma alegria. :-D
    Beijos grandes e abraço apertado. <3

    ResponderEliminar
  7. Oh Mariana que lindo texto!!
    Que bonita e inspiradora forma de viver!!
    Nada acontece por acaso, a vida traz-nos sempre o que é melhor para nós, e mesmo que as vezes a caminhada seja difícil, no final tudo fica no lugar certo!!
    Quando deres por ti, vais estar mais uma vez a desempenhar a tua profissão com todo o teu amor!
    Beijinho enorme ❤

    ResponderEliminar
  8. Mariana... abraço-te e continua em busca de um sítio melhor <3

    ResponderEliminar
  9. Mariana, que palavras tão bonitas. Apesar de não gostarmos dos tempos difíceis, é onde encontramos a nossa força. E é o que te desejo, muita força! Sortuda a casa que te receber.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Como sempre, este texto tocou-me no coração. Quem me dera que estivesses aqui. Precisava tanto de falar contigo agora e de te ouvir contar as tuas aventuras e como cresceste neste último ano. Precisava tanto da tua motivação. O meu contrato está a chegar ao fim e eu já ando à procura de algo para fazer a seguir. Mas sabes quando te sentes tão desmotivada? que não há nada que te preencha o coração? Ando assim. Nada me satisfaz. Tem sido difícil ultrapassar esta fase mais aborrcida. Especialmente porque sei que não sou esta pessoa que se deixa ir abaixo... :/ Mas fico tão feliz por te ler e saber que estás no teu caminho de procura de algo melhor. Isso dá-me força. Gosto muito de ti! <3

    ResponderEliminar
  11. Tão bom! Gostei tanto! E revi-me nas tuas palavras. Vou escrever sobre a minha procura por uma vida melhor no meu blogue! Bjinhos grandes 😊

    ResponderEliminar
  12. E eu creio que fazes muito bem em pensar assim Mariana.
    Tudo se vai resolver e vais encontrar o sitio melhor, com toda a certeza.É o que desejo a ti e a todos/as os que se encontram na tua situação.
    Beijinho
    Instagram ∫ Facebook

    ResponderEliminar

Seguidores

Junta-te ao Facebook

Amantes de Chá

Junta-te ao grupo #umaxícaradechá