Querido 2016

sábado, dezembro 31, 2016


Comecei o ano tão apática e desavida de esperança que ainda nem acredito que hoje, a escassas horas do ano acabar, esteja tão positiva. A verdade é que nunca me aconteceu isto. Sempre achei a passagem de ano deprimente (inclusive costumo ficar sempre doente nesta altura) e hoje sentir-me assim tão realizada é no mínimo estranho. Comecei 2016 a achar que este ano não tinha nada para me oferecer, mas a verdade é que me enganei redondamente, este ano ofereceu-me mais do que os últimos anos da minha vida. Cá vão as sete coisas mais importantes que aconteceram e que me marcaram:

1. Viajei tanto, mais do que o contava e a verdade é que andei sempre com a "mala às costas". Cá dentro: Sintra, Lamego, Régua, Ericeira, Figueira da Foz, S. Pedro do Sul, Castelo de Paiva, Cascais, Chaves. Lá fora: Corunha, Bolonha, Roma, Florença, Nápoles, Pompeei (Ai Itália...). E mais uma vez, confirmo: viajar é a minha melhor forma de cultura.

2. Senti tantas saudades. O Cohen morreu e só por isso 2016 ficou marcado de forma tão saudosista e triste. O P. partiu também sem anunciar, numa madrugada fria de Abril e o meu coração ainda não recuperou de saudades. Mais duas estrelas no meu céu, que brilha tanto.

3. 16 livros em 2016! Done. Ainda a ler o último, mas não conta pois não? O livro do ano foi: "O Bandolim do Capitão Corelli" que adorei até ao final. Destaco também a minha adoração pelo Hemingway (descoberta também este ano) e por livros sobre organização - Marie Kondo!

4. "Gosto muito de ti". A frase que disse mais vezes este ano. O ano que me permitiu estar ainda mais próxima das minhas pessoas, de reavivar amizades e seleccionar quem deveria permanecer (e de fazer centenas de quilómetros só para ver quem ilumina os meus dias). O ano que me fez chorar de rir e abraçar com muita força. (E descobrir o gosto por cake design!) O ano em que o meu amor por ele já tem idade para entrar na escola.

5. Mantive-me próxima do que me faz feliz. Cozinhar vegetariano e com ingredientes da nossa horta. Manter-me fiel à Natureza, ouvir os pássaros de manhã, colher as alfaces e os dióspiros. Colocar as mãos na terra e saber que vai ficar tudo bem. Conexão com o que é essencial. Inscrevi-me como voluntária na Loja de Comércio Justo do Porto, na associação Escutar e ainda participei no EcoPorto e na Cidade+. Voltei ao yoga e doei sangue uma vez (as minhas tensões não me permitiram repetir, infelizmente).

6. Cartas Cruzadas. O projecto dos meus olhos e o meu orgulho este ano. O ano em que mais de 200 pessoas receberam uma carta cruzada. Nasceu o pcartacruzadas.blogspot.pt. Fui entrevistada para a revista Amanhecer. A Imporcha-Oriental Sensations aliou-se como parceira do Projecto. Conheci pessoalmente uma dezena de "carteiras". Enviei a minha primeira carta para a Alemanha, para a Bélgica e para Luxemburgo. Ofereceram-me uns selos feitos de propósito com o logótipo do Projecto. Recebi envelopes, postais e selos oferecidos por pessoas que querem ver o projecto crescer. & enviei muita felicidade em forma de carta!

7. Vocês. Obrigada por me lerem por mais um ano. E por terem sempre palavras tão calorosas. Obrigada do fundo do coração. Não sabem o quanto as vossas palavras me mantêm com esperança!

E a ti, querido 2017, ainda nem começaste e eu só te peço uma coisa: por favor, sê maravilhoso.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Votos de um maravilhoso ano.
    É bom olhar para trás e olhar com nostalgia o decorrer de um ano e verificar que afinal temos tanto para agradecer!

    ResponderEliminar
  2. Espero que 2017 te traga tudo de bom! Mereces que cada dia seja maravilhoso :) É tão bom quando olhamos para o ano que passou e vemos que afinal temos tantas coisas que nos fazem sorrir... Não é?

    Mundo Indefinido

    ResponderEliminar

Seguidores

Junta-te ao Facebook

Amantes de Chá

Junta-te ao grupo #umaxícaradechá