~ Não tenhas medo do ponto de embraiagem ~

By Mariana Neves - agosto 19, 2018

Quando tirei a carta de condução morria de medo do ponto de embraiagem. Era o meu monstro de Loch Ness, a minha Cruela de Vill, o meu maior pesadelo. Acelerava para não apanhar um semáforo vermelho numa subida e fazia quilómetros a mais só para não ter que estacionar naquele plano inclinado. Na verdade eu sabia fazer o ponto, aprendi rapidamente, mas o medo era tanto que bloqueava. Não vos conto as vezes que deixei o carro ir a baixo nas estradas mais ridículas. Não demorou muito até que uma simples inclinação, por mais mísera que fosse, me assustasse e bloqueasse. Este medo durou uns anos. Até que a vida me deu uma forte razão para o enfrentar.

Fui obrigada - no bom sentido -  a fazer quilómetros nas mais diferentes estradas e claro em vários planos, passando por todas as horas e por todo o trânsito que a hora de ponta promete. Hoje em dia um plano inclinado é só um plano inclinado, já não é mais aquele monstro que me apavorava. Na realidade nem sei onde é que ele se meteu. Custa-me a perceber como é que durante anos (!!!) vivi amedontrada com um medo que na realidade só me pedia que o enfrentasse. 

Mas na verdade não é assim tão difícil de perceber, pois não? Quantas vezes deixamos que na nossa vida haja algo que nos bloqueie? Seja uma relação, um trabalho, um hábito, um medo. Há sempre qualquer coisa que tende a manter-nos num sítio onde não queremos estar. É difícil perceber que mesmo não querendo estar no sítio que estamos, continuamos lá. Mas na verdade a única coisa que pudemos fazer é parar de travar (bloquear sonhos, vontades e por última instância a vida) e ao mesmo tempo ir acelerando. Sem medo. O carro não vai abaixo - tu consegues. A estrada vai-te ajudar, a vida vai ser (ainda mais) linda. Não tenhas medo do ponto de embraiagem é ele que te permite avançar quando pensas que a viagem já acabou.

  • Share:

You Might Also Like

3 comentários

  1. Eu ainda hoje tenho um medo de morte do ponto de embraiagem (ainda que tenha sido, literalmente, a primeira coisa que aprendi porque a minha escola de condução era numa subida e o carro ficava sempre lá estacionado). Tenho medo porque raramente conduzo, confesso. Ainda assim o meu namorado já me ajudou a relaxar ensinando-me a usar o travão de mão. O que também não deixa de ser um paralelismo para a vida. Quando algo nos assusta está sempre algo por perto para nos dar segurança! Basta procurar bem :)

    ResponderEliminar
  2. Acho que toda a gente tem um bocadinho de receio de fazer ponto de embraiagem nas subidas do início :P Mas realmente o melhor é não deixar que isso nos tolde o discernimento, porque não é nada de inatingível, por muito difícil que pareça no início :)

    ResponderEliminar
  3. Querida Mariana,

    Não acredito que exista ninguém que na sua vida já não tenha passado por situações complicadas, «seja uma relação, um trabalho, um hábito, um medo», usando as tuas palavras. Acredito que todas as pessoas, mesmo aquelas que tentam experienciar a perfeição inexistente, passam por momentos destes que nos bloqueiam, que não nos deixam prosseguir. Recentemente atravessei uma situação do género, o que me fez mudar de uma escola nas redondezas da minha cidade para uma bem no centro desta a um ano de terminar o ensino secundário. Sentia-me sufocar pelos ares que já me sufocavam - queria algo novo! Assim, tal como tu, sinto uma enorme alegria por não ter deixado que o "ponto de embraiagem" me causasse medo e enfrentei-o. :)

    Achei maravilhoso o aspeto metafórico que conseguiste dar a uma situação que te causava tanta aflição.

    Um beijinho enorme com um grande sentimento de gratidão pelas tuas reflexões neste blogue. <3

    ResponderEliminar