Sobre mim

Bom dia alegria!


Eu sou a Mariana e sejam muito bem-vindos ao meu blogue! Este é aquele espaço autobiográfico em que vou-vos falar um bocadinho da pessoa que escreve desde Maio de 2012 este blogue.

        Nasci dia 31 de Outubro, prematura, em Viseu quando ninguém estava à espera. Desde aí que encaro a vida como se fosse um presente, um raio-de-sol (como um girassol) e sempre recetiva às surpresas que ela me traz.
       Tenho 23 anos, já morei em quatro cidades diferentes e mudei oito vezes de casa, e num mundo onde tudo o que importa são os números eu prefiro centrar-me nas pessoas. Por isso, deixem-me reformular: sou do Porto, mas já vivi em Vila Real, Albergaria-a-Velha e Mafra. Guardo cada cidade e cada paisagem no meu coração, a maior parte das vezes são essas cidades a inspiração para aquilo que escrevo.
       Aos nove anos, escrevi um poema sobre a leitura que foi afixado no polivalente da minha escola. Isso fez-me ver a escrita como um desabafo da felicidade e infelicidade da vida e desde então nunca a deixei. Escrevo todos os dias, como se fosse o meu modo secreto que deixasse os meus sonhos respirarem. Aos dezasseis ganhei uma viagem a Istanbul por traduzir um pequeno sonho: o sonho de viajar poe este mundo fora. A partir daí não parei de sonhar (e de concretizar).
     Desde os seis anos de idade, eu e os meus pais, percorremos a Europa com a tenda atrás das costas: Espanha, França, Áustria, Eslovénia, Croácia, Itália, Suíça, Alemanha… e por aí adiante. Essa experiência desenvolveu o meu bichinho de conhecer novos sítios, novas culturas e a minha paixão imensa pela Mãe-Natureza (daí aqui ires ouvir falar muito sobre desenvolvimento sustentável e alternativas ecológicas). Na verdade não há nada melhor do que acampar sobre um céu estrelado. Mais tarde, sem eles, conheci a Holanda, Inglaterra e sei que não vai parar por aqui. Coleciono experiências no passaporte da minha alma.
    E por falar em coleções: tenho duas caixas cheias de cartas do Projecto Cartas Cruzadas que criei em 2012. Hei-de sempre centrar-me nas pessoas, não vos disse? Neste momento as mais de 400 cartas que enviei são bocadinhos de mim que fui cedendo na passagem do correio, às pessoas que me queriam ler, que me queriam sentir.
     Em 2014 levei a minha vocação A “centrar-me nas pessoas” e tirei a licenciatura em Reabilitação Psicomotora. Sou Psicomotricista, porque sinto que não poderia ser outra coisa qualquer. É como estas palavras que escrevo: se não fossem para vocês, não fazia sentido. Se eu não fosse Psicomotricista, não fazia sentido ser outra coisa.
   Quando terminei o curso disse aos meus pais: “Não quero trabalhar com idosos, é demasiado doloroso por causa da memória dos avós.” E foi assim que a vida me levou para um lar de idosos com cem utentes onde durante um ano me entreguei de alma e coração. Neste momento, não me vejo longe da população idosa: são demasiado especiais para eu os deixar. 

Gosto de pessoas que traduzem sorrisos, que sentem olhares e que falam com um abraço. Sou sonhadora, intimista e acredito que pudemos mudar o mundo.

     Estes 23 anos de vida ensinaram-se, entre tantas coisas, que nada acontece por acaso. Foi com o meu primeiro desgosto amoroso que comecei a gostar de chá e a confortar o coração numa mísera xícara. E isso mudou a minha vida. Foi quando descobri que tinha colesterol hereditário aos 15 anos, que tive a coragem para me tornar ovo-lacto-vegetariana. Até então nenhuma dessas “coincidências” deixaram de ser parte de mim. Por isso, acredito que, se estás aqui a ler-me, é por algum motivo. Se bem-vindo e aproveita a estadia aqui (com uma xícara de chá).

Estou à distância de um e-mail.
Obrigada por todo o carinho que recebo através deste espacinho que é tão meu quanto vosso.
Desejo-vos um dia feliz, com muito chá e girassóis, claro!

Um xi-coração,

Mariana.

  • Share: