A subtil diferença entre o dizer e o fazer.

By Mariana Neves - janeiro 08, 2013

Dia 7: "Estou grata por ter na minha vida pessoas especiais que me fazem a cada dia que passa amá-las mais."


      De há uns anos para cá, a minha vida tomou um rumo diferente da maior parte dos que estavam perto de mim: fui morar para outra cidade, comecei a criar mais projectos do que aqueles que cabem na minha mão, entre outros aspectos que, quer queira quer não, me foram distanciando das pessoas. Não falo da distância de coração mas aquela distância de falar todos os dias, das vivências diárias cheias de brincadeiras e momentos íntimos - aquela distância que nos deixa apertados de saudades.
    Saudades. Todos as temos, todos as sentimos. Aquelas pequenas areias que, por vezes, saem do nosso coração como quem foge pelos dedos e percorrem o nosso corpo procurando por alguém que, por algum motivo, já não está perto. Mas como se combate a saudade? Quando ainda é possível matar a saudade, felizmente nos dias de hoje torna-se fácil tentar diminuir um bocadinho esse bicho papão. E não, não estou a falar em Facebook, nem Twitter, ou qualquer outra rede social. Estou a falar no telemóvel. Sim, isso. Mandar uma mensagem. Ligar a uma pessoa, sem aviso, ouvir a voz dela, fazê-la rir, passar horas a falar com ela sobre o que se passa ou passou. Mostrar que realmente se tem saudades e não ficar pelo cliché de "ai tenho tantas saudades tuas" e não se fazer rigorosamente nada.
      Ontem fiz isto. Já andava cheia de saudades de um amigo meu e liguei-lhe. Como sempre, a conversa fluiu como água e foram quase duas horas de conversa. E sabem que mais? Soube tão bem. Até parece que o senti mais perto. Ah, e cá para nós este mês ainda vou apanhar um comboio só para o ver, podem crer. Acho que nos habituamos em demasia às redes sociais, e elas nem sempre nos ajudam a estar perto. Portanto, hoje tirem um bocado do vosso dia e liguem a alguém que vos falta e não está perto de vocês. E caso não possam ligar mandem-lhe um e-mail. Sempre é mais pessoal e dá para acarinhar mais a amizade que vos une e afastar, por um bocado que seja, a saudade.

  • Share:

You Might Also Like

2 comentários

  1. Eu tenho cada vez mais amigos "mundo fora" (já para não contar os que estão "lá fora cá dentro"!). Espanha, Alemanha, Inglaterra, Irlanda, Brasil... E digo-te com toda a certeza: não é a distância física que faz a diferença! :) Viva o telefone, o skype, os mails, o facebook, os blogs e tudi tudi tudi!!

    ResponderEliminar
  2. Lindo texto :')
    Que coincidência que ainda hoje falei com uma amiga que já não via à meses, de facto, soube bem relembrar as nossas conversas por breves instantes.

    (Mariana, tenho de acompanhar novamente o teu blog! Os exames infelizmente têm-me afastado um pouco deste mundo, mas vou estar mais atenta)

    Beijinho

    ResponderEliminar