In my way to the green beauty #1

By Mariana Neves - novembro 09, 2014


    Quando planeei este projecto na minha cabeça sabia exactamente o que queria: tratar de mim sem descuidar nada ou alguém. Sabia que ao longo dos anos tinha feito muito "trabalho de casa" mas que também me tinha descuidado muito por pensar que já "fazia o suficiente". Não queria que isso voltasse a acontecer. Sabia que com as pesquisas e trocas de sugestões ia descobrir coisas que não gostava assim tanto, coisas que me iam deixar triste e menos esperançosa em relação ao mundo e que por mais coisas que lesse havia sempre algo a aprender. Sabia que no que toca a cosméticos (e noutra coisa qualquer) eu nunca iria saber de tudo. Mas mesmo assim decidi-me a avançar com este projecto.

    A primeira coisa que me lembrei que tinha de falar mal arrancasse com o projecto era do vídeo "The Story of Cosmetics" embora seja de 2010 (já???) é ainda bastante actual e acho que explica de uma forma bastante engraçada a realidade que se passa nos dias de hoje. Houveram muitas coisas que me fizeram olhar para os cosméticos de forma diferente mas foi acima de tudo aquela ideia de beleza que os rótulos transmitem. Decidi afastar-me dos cosméticos naturais por não querer cair acima de tudo na "rede da publicidade". Não queria ver um anuncio para peles luminosas e ficar a pensar: será que a minha pele é luminosa? será que está bem? Será que é horrível? Parece exagerada esta linha de pensamento mas infelizmente é exactamente isso que a publicidade faz por nós nos dias de hoje: faz-nos duvidar da nossa beleza, da nossa maneira única e maravilhosa de ser. Faz-nos pensar que se não formos iguais a toda a gente, então somos nós que estamos mal. E isso está tão mal. 

Primeira coisa a fazer nesta caminhada: desligar-nos da publicidade, do que é suposto parecermos. Ligarmos apenas e exclusivamente aquilo que somos e ninguém tem haver com isso.

Para quem viu também o vídeo apercebe-se que quem manda nisto tudo, no nosso processo de escolha, não somos nós. É quase como quando éramos pequenos e sem sabermos os nossos pais nos davam a volta e nos convencíamos que afinal não queríamos a pasta dos dentes da minnie super cara, o que nós queríamos mesmo era a pasta dos dentes sem bonecos mais barata. Isto tudo, claro, sem darmos por isso. Acho que cada vez mais temos que ter cuidado com aquilo que compramos. Porque aquilo que compramos irá sempre bbeneficiaralguém, mesmo que nem sempre se saiba directamente quem é esse alguém. É fundamental sabermos que "mercado" estamos a aumentar e para onde vai o nosso dinheiro. Posto isto chegou a altura de vos falar de três coisas que eu acho muito importantes no que diz respeito à escolha de produtos de higiene.



 ~ Não ser testado em animais: esta é uma opção minha que diz respeito à minha forma de ver o mundo. Não quero estar a usar creme, ou seja o que for, e pensar que para o usar já algum género de crueldade foi prestada. Felizmente hoje, em dia, já existem algumas alternativas e cada vez mais há marcas que não testam em animais. Para saberem se é testado ou não em animais podem recorrer a esta lista da PETA. Pesquisem a marca que querem saber e logo terão a vossa resposta. Para facilitar também sempre que virem o símbolo em cima à esquerda nos vossos produtos sabem que ele não foi testado em animais.

~ Ingredientes de Agricultura Biológica: para quem acredita nos benefícios da agricultura biológica (como eu) sabe o quão importante é estarmos rodeados de produtos sem qualquer químico. Daí ser também fundamental que os ingredientes dos nossos produtos de higiene também provenham de agricultura biológica, para saber se o são estejam atentos há existência do símbolo do meio nos vossos produtos, ele comprova que todos os ingredientes usados são de agricultura biológica. Atenção, uma pequena coisa que fui aprendido, é que este símbolo é bastante caro, pelo que me contaram é preciso pagar para o ter bem como uma série de burocracias. Conclusão: normalmente as pequenas lojas não o têm. Não por não usarem ingredientes biológicos mas pela questão burocrática. Neste caso aproveitem e tentem falar com a loja em si e perceber a sua filosofia de funcionamento).

~ Ser de comércio justo: Quem é que não gosta de usar manteiga de cacau? Eu sou uma fã imensa. Adoro todos os produtos que sejam mais "exóticos". Contudo para além dos milhares de quilómetros que estes ingredientes têm que fazer para chegar até mim (que já por si poluí imenso), normalmente o comércio entre a "apanha" destes produtos, passando por todo o processo agrícola é feito por uma ninharia. Os fornecedores não são pagos pelo custo justo do seu trabalho. E quando isso acontece os nossos produtos até podem não ser testados em animais, mas passarão a ter crueldade humana. E isso é algo que também não é de aceitar. Claro que esta questão não se levanta se os produtos que comprarmos forem feitos apenas com produtos locais e for tudo tratado por trocas directas. Daí, há que realçar sempre a importância do artesanato, de consumir o que é nosso. Mas, como não há cacau em Portugal há sempre que ressalvar esta questão.

Como disse, todas as nossas escolhas têm alguma influencia e é preciso pensar aquilo que queremos influenciar. Porque, ao que me parece, ainda temos esse poder. Agora, toca a ir vasculhar os nossos produtos: quantos deles têm estes símbolos? Quantos deles sabemos que são feitos com ingredientes de agricultura biológica e proveniente de um comércio justo?

To be continued...

Um xi- não testado em animais, biológico, 
100% biodegradavel e só com produtos naturais, 
Mariana.

  • Share:

You Might Also Like

6 comentários

  1. Estou a adorar :p Esta ova rubrica do blogue está a ser algo que me está a fazer olhar também para as minhas próprias escolhas. Obrigada, Mariana, por seres esta inspiração para mim! :p <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, é tão recíproco :) também me está a fazer muito para as minhas, acredita. Cá continuamos nesta luta, não é? Um xi-coração gigante minha doçura**

      Eliminar
  2. Um artigo muito bom. :)
    Tento sempre fazer todas estas escolhas, principalmente no que toca à crueldade animal. No entanto, nem sempre é possível e fico doida por nem sempre fazer as escolhas com as quais me sinto bem, porque é difícil encontrar certos produtos no mercado.

    Um beijinho grande.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade Sefa. Mas nós temos que tentar (mesmo que não passe disso mesmo: de tentar) sempre contrariar isso e ir atrás daquilo que acreditamos, aquilo que defendemos. Não é verdade? No próximo vou falar sobre as possibilidades do mercado, fica atenta :) um xi-coração, Mariana*

      Eliminar
  3. Olá Mariana, a minha mãe gosta muito da marca Grace Cole porque não é testada em animais e tem o símbolo da PETA ♥ (e cheira bem). Dantes só havia em alguns supermercados mas pelo que vi também já há no Continente. A Barbaria tem alguns produtos com símbolo e outros sem :/ talvez pelas tais questões burocráticas.
    beijinhos

    Adriana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grace Cole? Nunca ouvi falar, vou pesquisar! Obrigada Adriana :) **

      Eliminar