A ilusão do desejo.

By Mariana Neves - junho 01, 2015

Quando era pequena sonhava que, quando crescesse, ia ser magra, loira e andar sempre bem vestida e arranjada. Era pequena e cresci. O meu cabelo passou de loiro a castanho claro, muito longe dos raios de sol que os meus caracóis vestiam quando era pequena. De magra, nunca tive nada, a não ser o meu pouco interesse por desporto e a minha ambição por comida. E o andar bem vestida... passou por ser camisolas largas do Bob Marley, a vestidos largos, a "camisolas de grávidas" (como diz o meu pai) e por fim... por fato de treino e pijama.  

Durante o tempo fiquei bastante triste por tudo aquilo que, fisicamente, idealizei que ia ser não se ter realizado. Então, um dia, resolvi alterar um bocado isso. Foi no mês em que me inscrevi no ginásio que também comprei um spray (dito natural) para realçar cabelos loiros. A inscrição no ginásio acabou por ser uma boa decisão, devo admitir. Mas acabou por ser a única. Para além do spray, uns tempos mais tarde decidi-me a fazer unhas de gel. Afinal, unhas bem arranjadas são uma coisa de "meninas bonitas", não é? Não. Porque eu sou uma menina bonita e nenhuma destas coisas funcionou comigo. 

As duas coisas que mais gosto em mim são: o meu sorriso (obviamente) e o meu cabelo. Sempre adorei o meu cabelo, a cor em que ele se descreve que não tem tradução, entre um loiro escuro e um castanho claro, entre um fio de ouro e um bocado de outono. Sempre adorei. Até ter colocado aquele spray. Não gosto nada da cor que ficou. Embora a maior parte das pessoas até o elogie, sinto que não é meu. Estou ansiosa que o cabelo cresça o quanto antes para se deixar de notar este reflexo demasiado loiro. Em relação às unhas... Não duraram uma semana. Gastei uma dezena de euros para ao final de três dias estar tudo a sair. Ao que parece, as minhas unhas como não estão habituadas a ter nada em cima, então rejeitaram o verniz e aquilo começou a sair logo. 

Com estas últimas descobertas apercebi-me que afinal as minhas unhas são lindas assim: curtinhas e sem verniz, mas cuidadas e brilhantes. E que afinal a cor original do meu cabelo é a cor mais bonita que algum dia podia ter e estou desejosa de a voltar a ver por inteiro. Se estas coisas me ensinam algo é que às vezes aquilo que mais desejamos não passa de pura ilusão. Porque às outras pessoas fica bem. Mas as outras pessoas não somos nós pois não? Ultimamente tenho descoberto muitas coisas. E uma delas é que a minha maior beleza não está na cor do meu cabelo, ou nas minhas roupas, ou na minha falta de gordura. A minha beleza reside no estado natural do meu ser, na plenitude da minha alma, no núcleo de mim. E por mais atalhos que eu tente descobrir, não há nada melhor do que ser eu mesma e estar satisfeita com isso.

  • Share:

You Might Also Like

5 comentários

  1. Adorei o texto! Eu também sonhava com isso tudo quando ai crescere. Só ficou o cabelo loiro ahaha Já me senti como você se sentiu. E ás vezes ainda me sinto assim. Mas quando tudo isso passa, percebo que eu sou realmente bonita. Não tanto como sou, mas por quem eu sou.
    Beijo

    behindkaleidoscopeeyes.blogspot.it

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exactamente, quem somos é tudo o que vale :)

      Eliminar
  2. Queria comentar porque não queria deixar passar este post mas a verdade é que já disseste tudo. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh.. mesmo assim, obrigada pela presença, companhia e carinho**

      Eliminar
  3. E é por escreveres coisas assim sentidas e com todo o sentido que vais sempre ser uma linda menina! :)
    Um beijinho e saudades.*

    ResponderEliminar