Como fazer a cama pode mudar a nossa vida.

By Mariana Neves - janeiro 13, 2016

Este podia ser um post que podia mudar a vossa vida. Mas não vai ser. Nenhum post mudará a vossa vida, adianto desde já, o que poderá mudar será a vossa forma de olhar para ele e daí surgirem as consequências. Foi exactamente isso que me aconteceu enquanto hoje fazia a minha cama.
Tenho o hábito de nunca sair de casa com a cama por fazer (porque nunca sei como vou voltar a entrar em casa). Mas não tenho o hábito de fazer bem a cama. Não sei esticar bem os lençóis ou pelo menos não me dou ao trabalho. Foi o N. que me ensinou os benefícios de uma cama bem feita (com os lençóis esticados e os cobertores bem presos). Foi ele que me apresentou às noites muito bem dormidas por sentir que dormia na melhor cama do mundo (mesmo que signifique estar a dormir na mesma cama que tenho desde que nasci). Fazer bem a cama não é só uma moda, uma forma de apresentação bonita, é antes de tudo: a melhor forma para nos preparar-mos para uma relaxante e revigorante noite de sono.
Posto isto nos últimos dois dias tenho-me esforçado por fazer a cama o melhor que posso. Em vez de demorar dois minutos, demoro quinze, mas lá vou tentando. E hoje, durante a minha tentativa matinal, apercebi-me que tudo na vida é como fazer uma cama. Lá está: quem faz boa cama, nela se deitará. 
Às vezes o tempo que dedicamos às coisas, não é só o tempo que dedicamos a elas, mas também o que vem dessa dedicação. Lavar os dentes não é só lavar os dentes, é prevenir caries e promover uma boa higiene oral. E isso não se faz em um minuto pois não? Bem feito, demora sempre mais um  bocado. O mesmo se passa com as amizades, por exemplo, uma boa conversa não demora um minuto, pois não? Isto para dizer, que na nossa vida (e na nossa cama) o tempo não é perdido quando o dedicamos a fazer as coisas boas (como esticar os lençóis). No fundo, quanto maior a dedicação que destacamos para uma coisa, maiores as probabilidades de daí virem bons frutos. (Ou por outras palavras: faz o bem e o resto vem)

Eu demoro quinze minutos a fazer a minha cama. E tu?

  • Share:

You Might Also Like

4 comentários

  1. :) demoro cinco minutos (bem feita, com os lençóis puxadinhos). Nem sempre a faço de manhã porque não tenho tempo e porque assim a roupa de cama também está ao ar e há menos concentração de ácaros, mas se não fizer durante o dia faço à noite ou quando chego a casa.

    beijinho :)
    adriana

    ResponderEliminar
  2. Eu devo demorar pouco menos de quinze minutos a fazer bem a cama, mas raramente (ok, nunca) a faço de manhã, antes de sair de casa. Não criei esse hábito (ainda). E em muito a culpa é do snooze!!
    Mas adoro esticar bem os lençóis e prender bem o edredão, assim como adorei a tua analogia :)

    Foste um blog recém-encontrado e gostei do que aqui encontrei. :)

    Parmim

    ResponderEliminar
  3. Costumo fazer a minha mas é às 3 pancadas. Detesto fazer a cama! :)

    ResponderEliminar
  4. Sem dúvida que uma das chaves habituais para se viver feliz será viver-se presente, no presente. E, se no presente estamos, não temos motivo algum para não fazer o que queremos fazer, e fazê-lo da melhor forma que podemos. Desaparecem as pressas do tenho-de-ir-rápido, do não-posso-cansar-me-com-isto, e todas as desculpas que laboriosamente fabricamos com uma teia racional impenetrável, porque se temos de ir a algum lado então vamos, se não temos então ficamos.

    Simples como fazer a cama, por vezes ao regressar a estados mais meditativos não consigo acreditar como foi possível complicar tanto.

    Amanhã de manhã vou lembrar-me de tratar os lençóis com o devido respeito :)

    ResponderEliminar