Quatro dias em Londres {dia 1}

By Mariana Neves - março 15, 2017

Contei-vos aqui que em Fevereiro passei quatro dias em Londres e prometi que iria falar-vos da viagem. Então aqui estou eu, pronta para vos descrever quatro dias perfeitos de uma promessa feita há seis anos atrás e um conjunto de histórias felizes. O post está dividido em quatro e eu vou tentar não me alongar muito. Vamos a isso?

Dia 1 | Dia 2 | Dia 3 | Dia 4  

Foi a segunda vez que fomos a Londres por isso já tínhamos umas luzes do que era e isso ajudou-nos muito a programar estes dias. Os posts da Adriana também me deram algumas luzes e claro, a Joana iluminou-me o caminho todo. Tenho amigas que para além de fantásticas são óptimas a fazer roteiros. Mas bem como estava a dizer, antes de irmos fizemos uma lista daquilo que queríamos ver (obrigada pinterest pela inspiração!) e guia-mo-nos por isso. Aconselho a fazerem uma lista deste género sempre que vão viajar. Mas primeiro, as informações importantes:  

Chegando a Londres: Viajei na Ryanair do Porto para o aeroporto de Stansted e comprei o bilhete de autocarro na EasyBus demorou 1h15 a chegar a Kings Cross. A viagem de ida e volta ficou-me sensivelmente a 20 (não foi comprada com muita antecedência). Fiquei alojada na zona de Finsbury Park num hotel pequenino mas muito bem localizado e que nos guardou as malas durante horas no quarto dia. 

Transportes em Londres: Seguindo o conselho da Joana, comprei um cartão e carreguei-o com 20£. Esse cartão dava para comboios, metro e autocarro. Sendo que se por dia chegasse aos 6.8£ (sensivelmente quatro viagens se não me engano) o metro não cobrava mais. Fica muito mais em conta do que os passes diários. Nos quatro dias gastei 22£ em transportes (e abençoado dinheiro!)


No primeiro dia tínhamos uma lista de desejos enorme e uma vontade imensa de começar a explorar. Saímos do Porto às 6h e às 9h30 já estávamos livres em terras inglesas. Eram 11h sensivelmente quando chegamos a Kings Cross, arranjamos um mapa e fomos para Camden Town fomos a pé e demoramos cerca de quinze minutos. Sim, íamos com as malas atrás de nós, mas achamos que não valia a pena está a ir para o hotel e voltar. Almoçamos em Camden aquelas que foram as melhores batatas fritas doces que algum dia comi. As opções eram imensas e o paraíso dos vegetarianos havia opções em todos os lados! 


Depois do almoço tomei o meu primeiro chá inglês numa casinha de chá no Mercado maravilhosa. O senhor era tão simpático! Lá na casa de chá havia uma caneca que dizia "tips for karma", achei maravilhoso! (Quando tiver a minha casa de chá vou colocar isto!). Camden é enorme e cheia de sítios pequeninos e fantásticos. Vale a pena explorar com atenção, fica a dica para uma próxima!

Depois do almoço fomos encarar o metro de Londres. No início, vou admitir, foi uma confusão!! Tantas linhas, tantas pessoas, tantas cores. Foram preciso cinco minutos para me habituar, mas depois disso já me orientava bem e passei a amar o metro. Do hotel fomos para aquele que eu considero o melhor museu de Londres. Ok, eu não vi quase museu nenhum mas este foi maravilhoso. Rendi-me completamente. Imperial War Museum. A entrada é gratuita e na minha opinião vale muito a pena. O andar referente ao holocausto é de cortar a respiração. Para quem não sabe eu tenho particular interesse nos assuntos do holocausto. Já fui a Auschwitz, Briknau e a Struthof. A parte da exposição do Impertial War Museum na minha opinião está mesmo completa e muito bem feita. Na realidade foi a minha parte favorita do museu, o resto é para amantes do exército (tanques, história dos veículos, etc). Valeu muito a pena! 



Já saímos de noite do Museu, quase que tiveram que nos expulsar. Então daí fomos para o centro de Londres. E acreditem, só aí é que eu me apercebi que estava mesmo em Londres. Ver o Big Ben o London Eye. Parecia uma criança, o meu sorriso interior e exterior era gigantesco. Londres tem verdadeiramente um espaço muito grande no meu coração. Não me canso de olhar para o Big Ben e saber que aquela paisagem é das mais bonitas que já vi e senti. Passeamos na marginal do rio com um chá quente nas mãos e com os olhos a brilhar. Uma das coisas obrigatórias em Londres para mim é: passear tantas vezes quanto possível junto ao rio, é tão absorvente!


Do Big Ben partimos para Picadilly a pé (Londres é quase como o Porto consegue-se andar bem a pé para muitos sítios sem ser necessário o metro) onde nos encontramos com a Joana. E foi aí que eu conheci uma das lojas com o melhor cheiro do mundo: a loja dos M&M's. Vou-vos dizer eu até não era grande fã de M&M's mas a minha paixão nasceu ali, naquele instante. Por favor, vão lá (ou então não para bem da vossa saúde). Da loja fomos para Oxford onde ainda paramos nalgumas lojas, a Joana mostrou-nos ainda Soho e China Town e o roteiro acabou num restaurante mexicano onde decidimos jantar todos e nos perdemos à conversa horas que pareciam não ter fim. No jantar recebemos mais umas dicas da Joana e do G. (que são mais do que adoráveis e fantásticos!)


Acordados desde as 4h30 da manhã o dia acabou tarde, já com muito cansaço à mistura mas uma alegria imensa a preencher-nos o coração. Do centro de Londres apanhamos o metro e em 20minutos já estávamos no hotel (que tinha a cama mais confortável do mundo). Neste dia andamos muito a pé e apanhamos muito frio. No meio da confusão da novidade a viagem não podia ter começado de melhor forma. O que acontecerá nos restantes três dias em que estive em Londres?

To be continued...

  • Share:

You Might Also Like

4 comentários

  1. ♥ Se eu já tinha saudades de Londres a ler isto só fiquei com mais. Fica sempre tanto para ver! Sinto exactamente o mesmo em relação ao rio e a passear a pé. Lembro-me tão bem de passear lá de noite, não dá para ficar farta :)

    beijinho
    Adriana

    ResponderEliminar
  2. Que máximo Mariana :)
    Também estou a viajar com este relato ;)
    A recordar coisas boas :D :D :D
    Fico à espera da continuação :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Londres também está no meu coração, adoro e só penso qual será o dia que posso lá voltar *

    Beijocas,
    ANDA DAÍ!

    ResponderEliminar